Casos de Inovação

Casos de Inovação
A A A |

Mahle

Apresentação

Novo produto lançado pela MAHLE do Brasil separa a água do diesel com muito maior eficiência durante sua vida útil, com vantagens econômicas e ambientais.

A empresa

• Mogi-Guaçu - SP

• Porte: Grande

• 7,8 mil Colaboradores

• Inovação de produto

• Setor: Autopeças

• Agenda da MEI: Marco regulatório – Lei do Bem

O projeto

A decisão estratégica da MAHLE global de ampliar o portfólio de produtos no mercado de veículos comerciais resultou no lançamento de um filtro de combustível totalmente inovador, desenvolvido no Centro Tecnológico de sua filial brasileira.

Durante quatro anos de pesquisa, o desenvolvimento passou por diversas fases de evolução, do conceito ao produto final. Primeiramente, estudaram-se as condições reais de aplicação do produto, comparado ao desempenho dos principais concorrentes existentes no mercado.

Definida essa base de referência, diversos conceitos de produtos foram criados e avaliados quanto ao desempenho e aos benefícios que trariam para os clientes, tanto para os fabricantes dos veículos comerciais como para aqueles que compram as peças para reposição em campo.

Batizado de “Blindagua”, esse filtro atinge eficiência de separação de água três vezes maior, durante a vida útil de utilização. Essa maior eficiência evita que a água chegue ao sistema de injeção de combustível dos motores e cause desgaste prematuro e/ou corrosão, evitando altos custos de manutenção e garantindo o melhor desempenho do motor, sem aumento de emissão de poluentes.

Além disso, a ausência de água no diesel evita a formação de contaminantes orgânicos, que entopem os componentes do sistema de injeção de combustível. Essa maior eficiência de separação de água também está alinhada à política governamental de uso mais intensivo de biocombustíveis.

Pesquisa realizada pela própria MAHLE comprova que o aumento do percentual de biodiesel no diesel causa aumento de dificuldade de separação da água, o que requer o desenvolvimento de uma nova solução com desempenho diferenciado – como o filtro “Blindagua” – para atender a esse desafio.

O conceito utilizado foi o de estágio duplo. “A única forma de separar a água do diesel, com alta eficiência durante a vida do produto, é mediante a filtração por estágios. Em um primeiro estágio, a sujeira existente no diesel é retida, e as gotas de água aumentam de tamanho, devido ao processo de coalescência. Em um estágio secundário, protegidas da contaminação, as gotas, já não tão pequenas, são finalmente separadas e caem pelo efeito da gravidade no fundo do filtro”, explica Felipe Ferrari, engenheiro de desenvolvimento de produto da MAHLE.

“Fizemos um teste de conceito do produto numa colhedora de cana-de-açúcar – máquina de alta demanda contínua e exposta a ambiente com muita sujeira – e notamos que a sujeira afetava o desempenho das peças tradicionais. Após 416 horas de uso, o filtro “Blindagua” ainda estava com eficiência de 85% na separação de água, enquanto o produto concorrente apresentara eficiência inferior a 15% de separação de água com 300 horas, fazendo com os componentes de motor sofressem maior desgaste, o que resulta em maior custo de manutenção”, relata Ferrari.

O “Blindagua” também superou outras deficiências dos filtros convencionais, graças à disposição para ouvir os envolvidos na cadeia de comercialização de filtros. As pesquisas de mercado detectaram, por exemplo, o problema de quebra do reservatório transparente, durante a manutenção do veículo.

A solução desenvolvida foi a integração do reservatório ao corpo do filtro, evitando a necessidade da montagem e desmontagem, que causava a quebra da peça. Outra reclamação recorrente era a dificuldade de descarte adequado dos filtros usados. Processo manual é feito hoje nas concessionárias para separar os componentes metálicos dos demais. O “Blindagua” resolveu essa questão, por ser totalmente fabricado em plástico, sem a necessidade de trabalho manual para descarte.

Lançado em novembro de 2015, no Brasil, o novo filtro da MAHLE  obteve grande aceitação no mercado de reposição. O produto está em fase de validação por um grupo de montadoras, visando equipar os veículos já na fábrica.

As exportações para o MERCOSUL começaram no ano seguinte, e o lançamento na Feira de Autopeças de Frankfurt tornou o “Blindagua” um produto global. Já existem estudos de exportação para México, África do Sul, Colômbia, Rússia, Polônia, EUA e China.

 

Estrutura de inovação

Uma das maiores fabricantes de autopeças do mundo, a alemã MAHLE tem 77 mil colaboradores, mais de 170 unidades de produção e 940 clientes, apresentando faturamento em torno de €12 bilhões por ano.

No Brasil, a empresa tem uma receita líquida de vendas de R$ 2,2 bilhões, 7,8 mil funcionários e quatro plantas produtivas, além do Centro Tecnológico em Jundiaí (SP), onde trabalham 317 pessoas, dedicadas à pesquisa, ao desenvolvimento e à inovação.

É ali que são geradas as ideias para novos produtos, através de metodologias estruturadas ou simplesmente resultantes da sugestão de colaboradores das diversas plantas da MAHLE. “Em 2016, 160 novas ideias foram coletadas no Brasil. Nesse mesmo ano, 36 projetos foram desenvolvidos e seis novos produtos lançados no mercado”, explica Samantha Uehara, engenheira da área de Inovação da MAHLE.

“Muitas vezes, dentro do mesmo projeto, temos dois ou três conceitos de produtos diferentes em análise. Eles percorrem, na verdade, um processo de seleção natural, durante a fase de pesquisa”, explica Fernando Yoshino, gestor de pesquisa da MAHLE.

Esses conceitos de produtos são classificados como básico e avançado. “Básico é aquele que está dentro da zona de conforto do conhecimento, temos uma certeza maior de que vai funcionar, porque há uma maturidade maior de conhecimento. Já os conceitos avançados estão relacionados a ideias de ruptura, conceitos muito diferenciados. Desse modo, garantimos que traremos uma solução no final do projeto, mesmo que seja a do conceito básico, e ao mesmo tempo, temos condições de analisar soluções complexas, usualmente não consideradas nesse tipo de projetos”, explica Yoshino.

No caso do projeto do filtro separador de água, surgiram ideias similares aos conceitos normais de filtração e ideias de ruptura. Como resultado, não apenas foi lançada a solução única de mercado conhecida como “Blindagua”, mas também foi obtido um conhecimento técnico profundo sobre o assunto.

Este “know-how” levou ao reconhecimento dentro de organização do time do projeto no Brasil, tornando-o responsável pelo desenvolvimento de novos conceitos de filtros separadores de água para as unidades da MAHLE na Europa, EUA e China.


Baixe o PDF para o documento completo:

Baixar PDF